A EMOÇÃO DE COMPOR UMA MÚSICA ESPECIAL - Edmir Silveira

 

A emoção de compor uma música é uma das mais prazerosas que existem. Compor uma música pode acontecer de várias maneiras.

Uma música pode ser feita para atender a uma encomenda comercial. Para um filme, para uma novela, um jingle para produtos ou serviços. Um sertanejo universitário produzido em série...

Mas, existem certas músicas que tem alma própria. Desde que nascem. Já nascem estreando em alto estilo, estrelas com brilho próprio. 

Todos os músicos, que também compõe, sabem exatamente do que estou falando. Existem músicas que chegam sem pedir licença e se aproveitam da gente para nascer. Do nada. De Tudo.

Às vezes nascem de um só músico, outras em parcerias fantásticas, telepáticas.
.
Hoje, foi assim. Sem que ninguém esperasse. No meio de um ensaio, onde 3 músicos que se conhecem e tocam juntos há décadas estavam tocando.

Dois começaram a tocar, na metade do ensaio, enquanto o terceiro reafinava seu instrumento. 

A música surgiu instantaneamente, brotando dos dois. Completa,já arranjada, perfeitamente sincronizada do começo ao fim. Todas as nuances, a harmonia, a melodia, a combinação de notas, tempo, ritmo e dinâmicas. Nasceu andando e falando. Doce, linda e segura, sem vacilos, sem receios. Mágica, inexplicável.

Não sei qual de nós dois começou a tocar primeiro. Não trocamos sequer um olhar, um aceno ou expressão durante a execução/composição da música. Absolutamente sincronizados nas intenções, nos silêncios.

O terceiro músico teve uma sensibilidade musical fantástica. Apenas fez silêncio e observou. Teve a extrema sensibilidade de perceber o momento. O silêncio é fundamental para a música.

O prazer de compor uma música inesperada é inexplicável.

A primeira de Flóris foi inesquecível.  

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário

Anúncio

Anúncio