A TECNOLOGIA “CONECTADA” NA CHINA ESTÁ MUITO À FRENTE DA NOSSA - Rick Ricardo

 

 Jei acaba de completar 20 anos, ele como a maioria dos 600 milhões de chineses usuários de mídias sociais, cresceu sem Facebook, YouTube ou WhatsApp. Alternativamente ele usa QQ, Youku e WeChat. 

Não que ele não tenha experimentado os equivalente do ocidente, apesar do bloqueio, seu chip de celular veio com VPN, que lhe permite acesso ao Google, Instagram e Facebook.

“Já tentei mas não me identifiquei. Além da dificuldade cultural, os aplicativos daqui estão muito à frente em termos de recursos, e rapidez. O WeChat por exemplo, une as funções de Messenger, Uber, Amazon, JustEat, GoogleMaps e Facebook. Com WeChat posso fazer de tudo, desde de chamar um táxi, marcar uma consulta médica, até uma tradução simultânea. Ademais não posso usar o equivalente ao AliPay ou a carteira eletrônica do WeChat” disse Jei.

Quando terminamos a conversa e pedi a conta do café, a garçonete perguntou: “Zhifubao ou Weixin?” se referindo Alipay ou WeChat? Praticamente toda a população da China utiliza carteira eletrônica atrelada ao celular. Todo o comércio, inclusive as barracas de rua, exibem códigos QR ao lado da mercadoria. 

Paguei com dinheiro, que felizmente foi aceito, porque fica cada dia mais difícil viver aqui sem AliPay ou WeChatPay. . .
Rick Ricardo - O monge Ocidental

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário

Anúncio

Anúncio