TEMPO – Poesia - Edmir Saint-Clair


Passa o vento, passa o tempo, passa rápido ou lento
Nunca é demais
É sempre ao seu tempo, mesmo que não pareça
Mesmo que anoiteça
Mesmo que nada aconteça
Mesmo sendo Invisível, insensível, imprevisível
Tão que parece perder-se em si
em um tempo sem tempo
Mas o tempo nunca se perde, 
porque o tempo pertence só a si
Não é meu, nem seu, nem sei de quem é
Sempre correndo, sempre tecendo
Essa tela de cores, amores, sabores e beijos
Sabe exatamente para onde vão os desejos
Quando viram felicidade,
Como uma missão, um sentido,
Como uma solução.

É raro esse momento sem tempo,
E é onde tudo acontece
Onde nunca anoitece,
Onde somos pra sempre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário

Anúncio

Anúncio

NEUROCIÊNCIA SUPEROU A PSICANÁLIE - Ivan Izquierdo

NEUROCIÊNCIA SUPEROU A PSICANÁLIE - Ivan Izquierdo
A psicanálise foi superada pelos estudos em neurociência...